Jovem de 25 anos comete suicídio na Vila Bom Jesus, em Canaã dos Carajás


Um jovem com iniciais de nome N.M.S foi encontrado morto, por volta das 9h desta terça-feira (3), na vila Bom Jesus, popular 13, após cometer suicídio por motivos ainda não claros. Esse é mais um triste caso de suicídio que sacode a região, em meio à onda recorrente nos município paraenses nos últimos meses. Só este ano, dois jovens de 16 anos tiraram a própria vida.

O Jovem foi encontrado por familiares, que não passaram informações precisas, apenas que o jovem estava sofrendo de depressão e também já tem passagem pela polícia.

Segundo informações de familiares mais próximo, é que são pioneiros na região. E confiram o quadro de depressão elevada do jovem, que deixou uma filha em vida.


No meio da população jovem, com idade entre 12 e 21 anos, a depressão é, disparado, a principal razão de suicídio, seguida de problemas amorosos ou familiares, uso de drogas ou álcool, bullying e traumas emocionais (como ter sido vítima de abuso sexual). Quem observa é o portal Tua Saúde, especializado em informações de saúde, nutrição e bem-estar, que fez levantamento mostrando os principais motivos que levam moças e rapazes a dar cabo à própria vida.

No Brasil, uma pessoa comete suicídio a cada 45 minutos, conforme números recentes do Ministério da Saúde. No mundo, praticamente oito cidades do tamanho de Tucuruí tiram a própria vida por ano, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Aqui no Pará, a cada 32 horas, um cidadão se mata, apontam as estatísticas do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM).

Um ranking foi preparado com os casos de suicídio absolutos registrados nos municípios do estado e informados ao SIM, do Ministério da Saúde, até 19 de setembro do ano passado. O ano-base é 2016.

A ordem dos municípios mais suicidas não segue exatamente a dos mais populosos. Enquanto Belém lidera em números absolutos, mas com taxa por 100 mil relativamente baixa (2,4), Novo Repartimento impera com taxa assustadora (10 por 100 mil).

Entre os municípios com mais de 100 mil habitantes, Parauapebas (8) e Santarém (7,5) estão na dianteira, com taxas assustadoras. Barcarena é o único com mais de 100 mil habitantes a não estar na lista do suicídio que, no total, marcou presença em 89 municípios paraenses dois anos atrás. A situação é de arrepiar.

Redação/Portal Canaã

 

Previous Coca-Cola lança promoção que sorteia casas até 30 de maio; saiba como participar
Next Facebook retira do ar páginas de apoio a Bolsonaro

No Comment

Deixe uma resposta