Polícia Civil desarticula associação criminosa especializada em roubos a bancos


A Polícia Civil prendeu, nesta quarta-feira (14), em Ananindeua, região metropolitana de Belém, Francisco Luciano de Sousa Veras, de apelidos “Lulu” ou “Grande”; Arinaldo Silva Teixeira; João da Conceição dos Santos Souza e Maria Raimunda da Silva Teixeira, conhecida como “Tita” ou “Colombiana”, acusados de integrar uma associação criminosa responsável por roubos a instituições financeiras, em especial, em ações do tipo “novo cangaço”, “corte” e explosões de terminais de autoatendimento bancário. Com os presos, foram apreendidos 30 emulsões explosivas, seis quilos de barrilha, produto químico usado no refino de drogas, uma balança digital de precisão usada na pesagem das drogas, pedras de óxi de cocaína e maconha.

Entre os objetos apreendidos estão aparelhos bloqueadores de alarmes de bancos e de celulares, ferramentas e elásticos, além de equipamentos de corte (lança de corte), esmerilhadeiras, maçarico, mangueira, cilindros de oxigênio, aparelhos de comunicação por rádio, cordéis detonantes de explosivos e fardamentos. As prisões e apreensões foram resultados de investigações realizadas por policiais civis da Delegacia de Repressão a Roubos a Bancos e Antissequestro (DRRBA), vinculada à Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO). Os presos foram localizados em uma casa, no bairro da Guanabara, em Ananindeua. No local, estavam os objetos escondidos em um fundo falso na casa alugada.

O delegado Evandro Araujo, titular da DRCO, explica que as prisões dos acusados é resultado de investigação iniciada em novembro de 2016, quando parte do grupo tentou invadir a sede da empresa seguradora Prosegur situada em Redenção. Durante as investigações, um dos presos foi identificado por participação nesse crime. “Lulu” tem mandado de prisão preventiva por ações de “novo cangaço” nos municípios de Santana do Araguaia e Redenção e no Estado do Tocantins.

Dois dos presos já tinham diversas passagens pela Polícia por roubo a banco, homicídio e tentativa de homicídio. A presa chegou a ser resgatada do presídio do Centro de Recuperação Feminino de Ananindeua por integrantes da associação criminosa. Os presos foram autuados em flagrante por associação criminosa, tráfico de entorpecentes e porte ilegal de explosivos. Outros envolvidos com o grupo estão sendo investigados.

Enviado por Walrimar – Polícia Civil

Previous Polícia Civil deflagra Operação Tabebuia para combater esquema de corrupção em Pau D'Arco
Next EMPREGO E RENDA: Nosso grande dilema

No Comment

Deixe uma resposta